Publicado em 29 de abril, ás 16h:38

Com ingressos de 40 mil reais, festival de música é cancelado após roubos e falta de comida 

TNOnline DA REDAÇÃO
Imagens de um vídeo promocional do Fyre Festival. (Foto: Reprodução)

Praia paradisíaca em uma ilha privada nas Bahamas, vôos exclusivos, pratos gourmet, viagens de iate com supermodelos e tendas de luxo. A promessa era de ser um encontro de duas semanas entre milionários e famosos, num dos festivais de música mais "luxuosos" do ano. Mas tudo tudo ficou somente no marketing.

O Fyre Festival foi criado pelo empresário Billy McFarland e o rapper Ja Rule, que chegou a afirmar que o festival seria épico, onde todos iriam "viver como estrelas de cinema, festejar como estrelas de rock e transar como estrelas pornô". Entre os confirmados estavam nomes como Major Lazer, Blink-182. Os ingressos custavam de 1,5 mil a 40 mil reais.

Mas o que se viu logo no primeiro dia do evento foi bem diferente. Diversas pessoas relataram nas redes sociais montanhas de lixo por todos os lados, comida horrível, cães vira-latas, roubos e pancadaria entre a população local e os participantes. Houve quem descrevesse o local como um "campo de refugiados".

Por meio de uma nota postada no site oficial, os organizadores justificaram o fiasco. "Devido a circunstâncias fora do nosso controle, a infra-estrutura física não ficou pronta a tempo e não poderemos dar continuidade ao evento de forma segura e agradável para os participantes. Neste momento, estamos trabalhando incansavelmente para obter vôos e enviar todos para casa com segurança o mais rápido possível. "

O ministério do turismo das Bahamas divulgou uma declaração no Twitter demonstrando decepção pelo fato de centenas de visitantes terem sidos recebidos com total desorganização. O governo diz que ofereceu apoio a organização, mas que foi negado. "Claramente eles não tinham capacidade para executar um evento dessa escala", disse o ministério.

Nas redes sociais, Ja Rule lamentou. "Estou desolado. Peço desculpa mesmo não sendo culpa minha, aceito todas as responsabilidades". Billy McFarland, em carta aberta publicada na revista Rolling Stone, disse que a organização foi "ingênua ao pensar que poderíamos fazer tudo sozinhos".

Mesmo com toda a confusão ambos prometeram que o Fyre Festival irá tentar regressar ano que vem.

Publicidade